obesidade

Obesidade e bullying: efeitos sobre os jovens

A obesidade e bullying tem uma relação muito próxima e configuram como uma grande complexidade para a vida dos jovens que, em muitas situações, não se sentem confortáveis com a imagem corporal. A obesidade pode ter início em qualquer fase da vida. Porém, em se tratando dos mais novos a situação é um tanto mais complexa. Não é raro que, ao sofrer bullying devido ao peso, o jovem se torne mais tímido, menos expansivo e mais retraído. Além disso, precisamos considerar que as cobranças da sociedade por um corpo cada vez mais “perfeito”, pioram ainda mais essa situação.

Relação entre bullying e obesidade

O bullying é caracterizado como um ato de violência — física ou emocional — direcionado a um grupo ou a um indivíduo. O que complica ainda mais as coisas é o fato de que, na sociedade moderna, essa prática é algo rotineiro e, em muitas situações, até permitida. Talvez, o maior problema esteja na população que ainda não compreendeu que a obesidade entre os jovens não é uma escolha, é uma condição daquela pessoa. Os jovens alvos do bullying, geralmente são pouco sociáveis, são cheios de insegurança e tem uma baixa estima. Esses fatores os tornam alvos ainda mais atrativos para os perpetradores da violência. Por outro lado, quem pratica o bullying é, de certa forma, também uma vítima do meio ao qual está inserido. Esses, normalmente, são os mais fortes e quase sempre são de famílias desestruturadas onde a falta de afetividade e o comportamento violento são coisas comuns. Isso quer dizer que o bullying deve ser combatido, mas não somente isso, é preciso ir atrás da raiz do problema, por meio de ações afirmativas para que todo o cenário seja modificado positivamente.

Os efeitos do bullying nos jovens

Uma das consequências mais dramáticas da relação entre obesidade e bullying é a depressão nos jovens. Nas últimas décadas, essa alteração psiquiátrica tem visto seus números crescerem ano a ano entre os mais novos. Os jovens que são afetados por essa condição começam a apresentar falta de interesse nas atividades que realizavam com frequência, tornam-se mais inquietos, agressivos e, claro, os relacionamentos sociais e familiares também começam a serem afetados. O quadro de depressão complica ainda mais a situação da obesidade, pois esses jovens podem começar a buscar na comida uma espécie de fuga ou algo que lhe dê prazer. Outra consequência que surge como resultado da obesidade e bullying é a ansiedade que torna-se algo frequente e persistente. E, novamente, é um risco que apenas piora o quadro geral, pois assim como na depressão, a comida também pode se tornar uma válvula de escape.

Identificando o bullying

Os sinais de que o jovem tem sido alvo de bullying passam desapercebidos em boa parte das situações, pois ele tenta esconder que algo está errado. Muitas vezes, ele tem queda no rendimento, piora na segurança, queda na estima, irritação fácil, medo, vergonha, alterações no sono e sinais de tristeza. A família até percebe tais sinais, mas não raro, os considera como algo da idade ou simplesmente, um tipo de chateação. Porém, como ficou claro até aqui, a obesidade e bullying são coisas sérias. A família deve sempre ficar atenta, pois nem sempre o jovem sabe como procurar ajuda. Uma sugestão simples e que ajuda muito é procurar manter um canal de comunicação livre, sem preconceitos e julgamentos, para que ele se sinta protegido e seguro para falar sobre o que o aflige. Quer saber mais? Clique no banner!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp